Fundada originalmente em 2002, a Organização das Micromonarquias Lusófonas foi restabelecida através da I Conferência Monárquica Internacional. Alemanha, Brigância, Escandinávia, Escorvânia, Espanha, Itália e Portugal se reuniram em 19 de maio de 2019 para oficializar seu desejo de coordenar esforços pela construção de um ambiente internacional saudável e harmônico e, assim, refundar esta Organização.

A violência não pode ser utilizada indiscriminadamente como instrumento estruturante de relações internacionais. Guilherme da Alemanha, Representante da OML

A OML se divide em dois órgãos permanentes.

O Plenário é a assembleia onde se reúnem as delegações dos Estados-Membros da Organização, que são, cada uma, composta por até três diplomatas. O Plenário serve como órgão deliberativo da OML, e atua permanentemente.

Já a Conferência Monárquica Internacional é composta somente pelos Chefes dos Estados que tenham ratificado a Carta e se associado à Organização. A Conferência promove reuniões estruturadas a cada dois meses, mas mantém discussões contínuas sobre os mais variados temas internacionais.